Quem somos

A FASFI – Fundação de Ajuda Solidária Filhas de Jesus é uma organização civil, não governamental, sem fins lucrativos, fundada em 2003, na Espanha. No Brasil, apresenta-se como uma filial e conta com a participação de leigos voluntários e colaboradores, independentemente da crença religiosa. Essa fundação faz parceria com as irmãs Filhas de Jesus e busca globalizar a solidariedade.

domingo, 21 de maio de 2017

A FASFI no BRASIL está de luto


Com enorme pesar comunicamos a tod@s a passagem da Irmã Joseilda Aparecida Andrade Borges, Delegada da FASFI no Brasil.

Sim, era ela ali agachada (a terceira da fila), em meio ao Grupo de Voluntárias que, junto dela, buscam fazer da globalização da solidariedade uma realidade...

Sim, não era por acaso que estava ali na simplicidade do serviço, na altura do pequeno, porque era assim que ela sabia ser...

Sim, não era por acaso que vivia com sua capanga à tiracolo, onde cabiam a grandiosidade dos seus sonhos junto à FASFI e também junto ao povo da rua...

Sim, era isso que ela gostava de ser e sabia ser como ninguém: fermento no meio do povo!

Nesse momento de perda e dor, nos consola saber que seu fermento permanece em nós e que seus sonhos seguirão embalados nas mãos de tantos que aceitaram seu convive inicial de sermos FASFI no Brasil.

Fica o aprendizado, fica o convite para continuar, fica a esperança da vida que se renova com a morte.

Ficam as lembranças e fica o convite de levar adiante esse sonho de solidariedade que se materializa nos propósitos da FASFI.

Ainda sob o impacto da notícia que não queríamos estar publicando, fica a certeza de que o sonho não acabou!

JOSEILDA, PRESENTE!


(Velorio no dia 21 de maio a partir das 8h na Casa Santíssima Trindade e às 14h, eucaristia de corpo presente (Rua Madre Cândida, 241. BH-MG ).  Sepultamento às 16h no Parque da Colina, em BH)

quinta-feira, 18 de maio de 2017

Desafios que geram sucesso

A FASFI Campinas tem intensificado a cada dia o trabalho voluntário na arrecadação da Nota Fiscal Paulista. Toda ela destinada a Instituição CEPROMM, Centro de Promoção para um Mundo Melhor.

São 79 lojas no shopping Iguatemi, 49 lojas no shopping Dom Pedro e mais 17 estabelecimentos, totalizando, assim, 145 lojas visitadas.

Segundo informação da entidade beneficiada, o crédito com a arrecadação no segundo semestre de 2016, liberado pelo governo em abril de 2017, foi de R$ 7.320,00 (sete mil trezentos de vinte reais). Antes da intensificação dessas notas, o crédito segundo a entidade, era de R$ 4.000,00 (quatro mil reais).

A arrecadação aumentou em relação ao semestre do mesmo ano e a tendência é aumentar ainda mais, tendo em vista que neste início de 2017 o recolhimento tem sido bem maior.

Além disso, temos outros eventos ao longo do ano para contribuirmos ainda mais.


Enfatizamos, também, a participação da FASFI Campinas, na organização, arrecadação de roupas e trabalho voluntário durante o evento DESFILE DAS ESTAÇÕES, realizado na sede do CEPROMM, no dia 11 de março de 2017, cuja renda foi integralmente destinada à educação e assistência das 270 crianças atendidas por essa instituição.




quinta-feira, 11 de maio de 2017

EM BH: FASFI e CASA DOS PEQUENOS


IMG-20170506-WA0021 


Na tarde do dia 06 de maio, a Unidade de Educação Infantil do Colégio Imaculada Conceição abriu as portas para acolher as crianças da Casa dos Pequenos.

Dia de nadar, de brincar, de passear, de experimentar a simplicidade da alegria...

As voluntárias da FASFI se juntaram aos educadores do colégio para essa ação social.


IMG-20170506-WA0019

Aproveitamos para agradecer a cada um, cada uma que nos ajudou!

” Fica sempre um pouco de perfume
Nas mãos que oferecem rosas,
Nas mãos que sabem ser generosas”

sexta-feira, 3 de março de 2017

Formando novos Fasfianos

Fundação de Ajuda Solidária – FASFI  capacitando seus grupos de Campinas, Mogi Mirim e Bragança Paulista/SP

No dia 21 de janeiro do corrente ano, a FASFI/Bragança Paulista realizou seu primeiro encontro de formação de voluntários.

O encontro contou com a presença da Superiora da Comunidade São Paulo, Irmã Regina Célia de Oliveira, que acolheu os membros e deu inicio a esta manhã tão produtiva.

Estiveram presentes também as Filhas de Jesus das comunidades de Belo Horizonte (MG), Campinas, Mogi Mirim e Bragança Paulista (SP), a Representante da FASFI Brasil, com sede em Belo Horizonte (MG), senhora Maria José Brant (Deka) e demais voluntários das cidades de Bragança, Campinas e Mogi Mirim, que puderam conhecer um pouco da história de nossa querida fundadora Santa Cândida, os pilares de um voluntariado e por fim as ações concretas que um fasfiano pode vir a realizar.

Em uma manhã muito agradável, foram apresentados os propósitos e objetivos da Fundação de Ajuda Solidária das Filhas de Jesus – FASFI, sua organização de maneira geral e também a nível local. Em seus depoimentos, os voluntários contribuíram para incentivar a participação dos novos integrantes nas comunidades fasfianas de suas cidades.

Lembrando sempre que o objetivo da FASFI é desenvolver a ajuda solidária, principalmente aos mais próximos, e a entrada de novos voluntários vem para acrescentar e expandir a área de atuação dos projetos em andamento na cidade, no Brasil e em outras nações.

Com a graça de Deus e a benção de Santa Cândida, o ano de 2017 será regado de muito trabalho e sucesso na busca de tornarmos o nosso meio um lugar mais solidário.


           Bragança Paulista, Janeiro/2017.

























terça-feira, 20 de dezembro de 2016

TEMPO DE NATAL, TEMPO DE GRATIDÃO!

                         
O aniversariante era o centenário  Colégio Imaculada em Belo Horizonte, mas quem ganhou a festa no último sábado foram as crianças e adolescentes de duas Unidades de Acolhimento da Associação Irmão Sol.

Abrindo as portas para acolher a iniciativa da parceria entre os voluntários e colaboradores da FASFI e as religiosas Filhas de Jesus da Casa de Nazaré, a equipe do CIC se juntou à nós num só objetivo: Ser presença afetiva e colaborar na vivência positiva de meninos e meninas junto a adultos que amam simplesmente, que  protegem e ajudam a construir o ideal de  um mundo mais acolhedor no coração de cada criança e adolescente.

                        

Tarefa cotidiana e delicada que precisa de muita gente...

E foi o que aconteceu e o que vem acontecendo com a presença de voluntários e a retaguarda de muitos colaboradores fieis.

Neste dia de celebração da vida, cada detalhe veio com o sabor e a fragrância da solidariedade e do amor-serviço.

Na véspera, o sorvete já estava no congelador, porque "Seu"Domingos conhece da magia dos sabores e entende como ninguém de carinho gelado. GRATIDÃO!

                               
                               

O dia começou com atividades de reflexão e entrosamento com a presença disponível e iluminada dos educadores Peterson, Denise e Wingrid. GRATIDÃO!

(Merece um parênteses a cena dos adolescentes dispensando a presença das educadoras do Abrigo neste momento para poderem ter um "momento de privacidade". Foi encantador a identidade imediata!)

E os preparativos não pararam...

Amanda, juntamente com Mariza e Frederico  foram nossos fieis emissários junto ao Planeta Natal para garantir a presença da Mamãe e Papai Noel. GRATIDÃO! 

Mimos para os bebês e centenas de lápis coloridos caíram do céu direto para o saco de presentes do Papai Noel por gente que, preferindo se manter no anonimato, ajuda a manter viva a magia do Natal. A meninada amou. GRATIDÃO!

                              


                               

Também no anonimato solidário, algumas pessoas nos ajudaram a pagar umas despesas de retaguarda para que tudo funcionasse bem. GRATIDÃO! 

Para começar o dia, o pessoal do transporte acordou cedo para buscar a meninada nos Abrigos. À Estelita, ao Sergio e à Juliana, nossa GRATIDÃO!

Enquanto a meninada não chegava, Rose, Emílio, Marília, Shirley e Vana se desdobravam nos preparativos. GRATIDÃO!

Através da Flávia, surgiram lindas bonequinhas que foram feitas à mão por quem segue buscando sentido na vida e experimentou nesta ocasião o cheiro que fica nas mãos habilidosas de quem sabe ser generosa. GRATIDÃO!

Nossa mesa de frutas, sucos, pipoca e do mineiro pão de queijo veio das mãos generosas do Paulo Cesar, Eduardo Machado e Laura. GRATIDÃO!




Ah, os miquinhos também mandam agradecer. Adoraram os petiscos e encantaram as crianças presentes!

                           

Os "irmãos iguais" e educadores físicos Breno e Bruno que são presença certeira também estiveram conosco nesta manhã e ainda trouxeram  a mãe, D. Nice,  e a irmã Ana Paula que souberam ser colo e palavra doce junto às crianças e adolescentes. GRATIDÃO!

                           A imagem pode conter: 5 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé e barba
                                 

E elas também fizeram parte do trio que junto ao Carlinhos, serviram carinho em forma de um delicioso almoço. Pelos ingredientes e dedicação, GRATIDÃO!

                                        

Tiveram voluntárias que não puderam ir, mas Mariza, Virgínia e Deka que são presença constante nos abrigos estiveram conosco no meio da meninada somando-se aos colos e sorrisos fáceis. O trio se juntou à voluntária Lilian na produção das cadernetas artesanais que foram direto do saco do Papai Noel para as mãos de cada uma das 31 educadoras e do motorista da Associação que se desdobram num cotidiano corrido e criativo na rotina destes abrigos, na acolhida de cada bebê, cada criança e cada adolescente. GRATIDÃO! 



A mensagem de renovação da fé na vida foi recitada pelas irmãs da Casa de Nazaré que fizeram cartõezinhos com mensagens encantadoras. GRATIDÃO!

À Associação Irmão Sol, nossos agradecimentos pela abertura e confiança. GRATIDÃO!

Que a mensagem de esperança que o Natal nos inspira, renove nossos propósitos de solidariedade e justiça em 2017!

Vem com a gente! Participe conosco!









terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Dezembro é o mês do muito obrigada!

Com muita alegria e repletos de esperança encerramos mais um ano na FASFI/Campinas. Foram várias reuniões, encontros e eventos mas, principalmente inúmeros aprendizados. O maior deles, sem dúvida, é saber que nada somos sem o outro, pelo outro e para o outro. A vida só tem sentido se estivermos alicerçados na vontade de curar o nosso coração e o dos que sofrem. O que fizemos foi pouco, porém suficiente para nos dar a certeza de que devemos apenas continuar...

                Um dos frutos dos projetos atendidos é o texto que segue. Simples, atual, pontual e acima de tudo escrito por um adolescente atendido em um dos projetos que a FASFI acompanha e encenado por outros que lá também buscam uma chance de “ser, estar e fazer melhor”.

                Agradecemos a todos o apoio para nossas atividades e, principalmente, a Santa Cândida que nos ajuda a mostrar a nós mesmos e, principalmente, a todos que contribuem ou são beneficiados nos projetos da Fundação que “Deus te quer bem!”

Feliz e santo natal em Cristo!

Muito obrigada a todos!

FASFI/CAMPINAS







sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Mulher, mãe, filha, policial e Fasfiana

Como ser tudo isso? Nos dias de hoje, corremos contra o tempo devido aos inúmeros compromissos e responsabilidades. Encontramos em cada situação um jeito novo de resolver as coisas. Deixamos de ser mulher, para ser mãe, dividimos o tempo para sermos filha, para trabalhar e no meu caso, ser policial, e ainda há tempo para ser Fasfiana.

                                Tenho muito orgulho daquilo que faço, agradeço por ter um trabalho e o faço com respeito e acima de tudo pelo amor ao próximo.

                                Ser policial é ter que ser forte, é perseverar, é ter garra, é ter fé, é ser solidária com o outro, com os problemas do outro, com aquele que me procura e se me procura é porque precisa de ajuda.  Em que consiste essa ajuda? A ajuda consiste, na maioria das vezes, em apenas OUVIR, em orientar as pessoas a seguirem em frente mesmo diante de tanta violência porque passam, já que não têm para onde ir. Assim, consigo dar um colorido à vida de quem sofre. As pessoas nos procuram quando não aguentam mais a própria vida e como último recurso destinam-se à Delegacia de Defesa da Mulher, onde vão com tanta fé e esperança na certeza de que vão encontrar ajuda. Sabemos que, apesar da vergonha, querem encontrar uma saída. Em cada olhar desconsolado, em cada hematoma é a hora da ação.  São fatos reais e não apenas como em uma novela. Esses fatos que não podem ser ignorados, são marcas profundas, cicatrizes... em muitos casos o fim.

                                Diante de tantas reponsabilidades, nós mulheres, mães e profissionais nos deparamos com tais situações que inicialmente nos amedrontam, nos magoam, nos atingem, mas também nos proporcionam autoconhecimento, nos descobrimos como gente e concluímos que ajudamos e precisamos de ajuda.

                                Sendo mãe, filha e policial, descobri a solidariedade e ver o problema do outro e estender as mãos com o coração. Assim, descobrimos uma força dentro de nós mesmos, que era desconhecida. Isso também é ser Fasfiana, boa e corajosa, como queria Madre Cândida.   Não devemos desistir, pois a própria Madre Cândida dizia às irmãs: “Não se assustem Filhas, seja o que Deus quiser”.
                                Esse testemunho é de uma guerreira que poderia sim fazer o seu trabalho, se amargurar com tanta injustiça e falta de amor, mas graças a sua fé e vontade de ser uma semente nesse mundo escolheu se doar no trabalho e no voluntariado. Aprendemos que ser voluntário não é apenas participar de uma fundação de solidariedade para arrecadar fundos ou desenvolver atividades que colaborem e proporcionem a inserção dos excluídos na sociedade, ser Fasfiana é fazer o bem todos os dias, a qualquer um, em qualquer situação.

                                Conheça a FASFI...faça o seu melhor e ajude-nos a ser melhores.

                                                                                                                                                                                                                                                                                                                       Lúcia